Sócio da TGI e da Revista Algomais ministra palestra em evento para empresários de Petrolina

O consultor Tiago Siqueira, sócio da TGI e da Revista Algomais, foi um dos palestrantes do Petrolina Law & Business Day, evento que reuniu empresários da cidade pernambucana com o objetivo de debater as perspectivas empresariais para 2019. Promovido pelo escritório BVP – Berardo, Vasconcellos & Pontes Advogados, com apoio da Fiepe, da Revista Algomais e da TGI, o encontro aconteceu no dia 19 de fevereiro, no Hotel Nobile, em Petrolina.

Com palestras que abordaram os impactos das mudanças nas empresas, a terceirização de atividade fim e as oportunidades à luz da nova jurisprudência em matéria tributária, o Petrolina Law & Business Day buscou munir o empresariado da região com alternativas jurídicas e de gestão para melhorar o desempenho de suas empresas. “Pensamos nesse evento como uma forma de inserir o importante setor produtivo e empresarial de Petrolina nas discussões acerca dessas positivas alterações econômicas, legislativas e jurisprudências que se apresentam”, explicou o advogado André Berardo, sócio da BVP Advogados.

Em sua apresentação, Tiago Siqueira, sócio da TGI, falou sobre o tema “Impactos das mudanças nas empresas e nas pessoas”, contextualizando os dois mais recentes e importantes processos de mudança que o mercado vem passando: o momento político-econômico que o Brasil está vivendo e a nova era do mundo digital, chamada de “quarta revolução industrial”. Segundo o consultor, o país passou por uma crise muito grave, com grande aumento no número de desempregados, o que modificou os hábitos da população, refletindo também no desempenho do mercado.  “Porém, há sinais de otimismo por parte dos empresários. Isso já é o primeiro passo para a retomada da economia”, afirmou.

Para além da crise, outro fator que anda mexendo muito com o mercado é a evolução do mundo digital. “O comportamento do consumidor está sendo modificado de várias formas. Um desses comportamentos se chama ‘economia do compartilhamento’, onde o acesso às coisas passa a ser mais importantes do que a posse delas. Exemplos disso são as plataformas de compartilhamento como AirBnb e Uber, os aplicativos de streaming como Netflix e Spotify, entre outras”. Para o consultor, as empresas que não buscarem se adaptar a este novo cenário, serão mais afetadas e ficarão para trás.

Por isso, a palavra de ordem para o mercado, diante de tantas mudanças, é investir em um planejamento estratégico, de curto a longo prazo, para que se tenha uma perspectiva mais clara dos desafios que estão por vir.

0

FRASE DA SEMANA TGI

0

Não mais rejeitos a montante

“Sem os radicais não se faz revolução mas com eles não se governa”. Traduzindo para hoje: as mobilizações pelas redes derrubam ou elegem governos mas não governam.”

Minha avó materna, Marina Riedel Montezuma, dentre muitas máximas das quais só muitos anos depois vim entender a profundidade, por baixo de sua aparente obviedade, dizia o seguinte: “Errar é humano mas insistir no erro é burrice!”.

A Vale parece que, depois de dois erros trágicos, resolveu seguir o conselho de minha sábia avó e interrompeu o uso das hoje célebres “barragens de contenção de rejeitos a montante”, do tipo das que destruíram Mariana e Brumadinho. Melhor dizendo, vai parar de colocar rejeitos nelas mas a bomba-relógio que representam vai continuar até que a água evapore e os rejeitos se solidifiquem…

Mal comparando, é algo do tipo que a sociedade brasileira vem exigindo, pelo menos desde 2013, de sua classe política: que ela pare de colocar rejeitos em barragens de contenção a montante. O que a sociedade parece exigir é que as coisas da política sejam feitas direito e às claras, tendo como objetivo-fim os interesses da sociedade e, não apenas, os dos seus representantes políticos, gerando rejeitos difíceis de conter…

No fim de semana seguinte à tragédia de Brumadinho, vimos o fenômeno político se manifestar nas eleições para as mesas diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, assim como já havia se manifestado nos rompimentos de barragens de rejeitos políticos ocorridas em 2013, no impeachment e na última eleição presidencial, ainda que com efeitos diferentes: na Câmara, a recondução de Rodrigo Maia à presidência; no Senado, o afastamento de Renan Calheiros da presidência.

Em todos os eventos, um mesmo meio de mobilização, as redes sociais, com “campanhas” do tipo: #vemprarua, #foradilma, #elesim, #forarenan… E uma coisa me parece óbvia: entramos definitivamente num novo tempo da mobilização política. Aquele em que pesará sempre sobre a cabeça dos governantes de plantão a espada da Av. Paulista com um milhão de pessoas e uma grande faixa verde-amarela com a hashtag pintada em cima: #foraalguém!

Essa é a notícia boa. A ruim é, como disse magistralmente o Conselheiro Nabuco, pai de Joaquim Nabuco, bem antes de minha avó: “Sem os radicais não se faz revolução mas com eles não se governa”. Traduzindo para hoje: as mobilizações pelas redes derrubam ou elegem governos mas não governam. Para isso, só a velha e boa política que não gere resíduos tóxicos a montante.

*Artigo publicado na edição 155 da revista Algomais (www.algomais.com)

0

Francisco Cunha fala sobre as perspectivas para o Brasil, Pernambuco e Recife na Aula Magna da Faculdade Damas

O consultor e sócio da TGI, Francisco Cunha, foi o palestrante da Aula Magna da Faculdade Damas, realizada no último dia 13 de fevereiro, no Teatro Madre Chantal. Francisco se apresentou para os alunos de todos os cursos de graduação da instituição de ensino e falou sobre o tema “O que esperar do futuro em 2019: perspectivas para o mundo, o Brasil, Pernambuco e o Recife”.

Em sua apresentação, Francisco Cunha falou sobre o atual governo brasileiro, afirmando que o presidente Jair Bolsonaro foi eleito com um “talão de cheques em branco” e que seu sucesso vai depender da retomada consistente da economia. Para isso, precisará sinalizar de maneira firme que vai conseguir equacionar o grave problema fiscal do setor público brasileiro.

“Do ponto de vista econômico, o grande obstáculo a ser removido pelo novo governo é a Reforma da Previdência. Se ela for crível, abre-se uma avenida de boas possibilidades para o país. Se não, os problemas vão se avolumar e o governo perderá sustentação”, afirmou. Sobre Pernambuco, o consultor apontou que o Estado é um dos poucos que apresenta indicadores fiscais menos dramáticos e que a amenização da crise que afeta todos os entes federados vai depender, em boa medida, justamente do êxito da Reforma da Previdência.

Para o Recife, o consultor frisou que, nesse ano, quando a cidade realiza a revisão do seu Plano Diretor, observa-se a evolução de uma série de discussões que já vinham sendo feitas pela sociedade. Uma dessas discussões ocorre desde 2012 mobilizada pelo movimento do Observatório do Recife (ODR) por intermédio do projeto chamado “O Recife Que Precisamos”, inspirado, dentre outras referências, nas mudanças acontecidas nas cidades colombianas de Bogotá e Medelín.

0

INTG e TGI inscrevem para nova edição do curso Oficinas de Gestão

O Instituto da Gestão (INTG), em parceria com a TGI, está com inscrições abertas para a edição 2019 das Oficinas de Gestão, voltado para gestores de equipes operacionais, como supervisores, coordenadores e encarregados, que pretendem aperfeiçoar o exercício da liderança. O curso terá duração de 40 horas com aulas entre março e dezembro de 2019.

Dividido em duas etapas, o conteúdo abordará os princípios e as ferramentas da gestão, articulando a teoria com o cotidiano dos gestores. Nas oficinas, além da análise e compreensão das situações do dia a dia, os participantes também discutirão alternativas para a melhoria da gestão, como delegar, monitorar e desenvolver equipes, como administrar o tempo e a importância da prática do feedback e da inteligência emocional.

A coordenação do curso Oficinas de Gestão é de Carolina Holanda, psicóloga e consultora especializada em desenvolvimento gerencial de equipes e gestão de recursos humanos e de Georgina Santos, administradora e consultora em gestão de recursos humanos, desenvolvimento de equipes, gestão colegiada e formação de sucessores e herdeiros. As consultoras são sócias da TGI.

As aulas acontecerão na sede do INTG, localizada no bairro do Espinheiro. Mais informações sobre inscrições e valores pelo site www.oficinas2019.intg.org.br ou pelo telefone (81) 3134.1745.

0