All posts in Sociedade

MUNDO, BRASIL E PERNAMBUCO PARA ALÉM DA CRISE

Após o período em que a economia sofreu bastante com a crise, o Brasil parece iniciar o período de retomada. E esse é o momento de refletir sobre o futuro e o que fazer daqui pra frente no Brasil, como também em Pernambuco e no Recife. Como se desenha esse futuro foi o que o consultor Francisco Cunha, diretor da TGI Consultoria em Gestão, abordou na sua palestra durante o lançamento da Agenda TGI 2017, que aconteceu na segunda-feira (28.12.2016), no Teatro RioMar. Durante o evento, Francisco falou para mais de 500 empresários, executivos, imprensa, autoridades e profissionais convidados.

Mundo

Zona do Euro enfrentará nos próximos anos o desafio de ter o Reino Unido fora da União Europeia, com a aprovação pela maioria dos eleitores britânicos (51,9%) do chamado BREXIT (fusão dos termos exit  saída  e Britain – Grã-Bretanha). O resultado abalou o mercado financeiro e causou incredulidade no mundo todo. Já a China segue com o crescimento econômico estagnado. Do patamar histórico de aumento do PIB em uma mídia de 10% ao ano, nos últimos 30 anos, tem-se agora previsto uma estagnação de 6,5%. Nos Estados Unidos, as incertezas dominam a população e o mercado econômico com a eleição de Donald Trump para Presidente.

Assista sobre as perspectivas para o mundo no cenário atual:

Assista sobre os impactos da disrupção digital:

Brasil

O país vem enfrentando uma das maiores recessões de sua história. O Brasil contabiliza queda do PIB (-3,5% em 2016), aumento no número de desempregos, inflação alta e o impostômetro que pela primeira vez (dezembro, 2015) chegou aos R$ 2 trilhôes. Segundo Francisco, a gravidade dos números levou o povo às ruas e a consequente mudança de Governo.

Para ele, a crise político-econômica brasileira foi impulsionada pela Bolha do Consumo: políticas sociais benevolentes; reajustes salariais acima da inflação; aumento das despesas públicas; crédito farto; populismo cambial; farra dos subsídios; represamento das tarifas; “pleno” emprego; crise fiscal; descontrole inflacionário; e endividamento das famílias. E no Governo Michel Temer, quais são as prioridades? Restituir a credibilidade da autoridade presidencial e na política; restabelecer a ordem na economia; sinalizar o início do fim da crise; preparar o País para a próxima eleição geral.

Assista sobre a situação econômica atual do Brasil:

Cunha também afirmou que, para que haja uma retomada do crescimento, a prioridade deve ser o ajuste fiscal, ou seja, equilibrar receita e despesa. Com ele, haverá o aumento da confiança e, consequentemente, a volta do consumo e dos investimentos. Mas também, é  imprescindível que haja uma reforma política, como diminuição dos partidos políticos, adoção do voto distrital e regras mais rígidas para os financiamentos de campanhas. Com este cenário, há uma estimativa de recuperação da economia brasileira até 2019, com o crescimento de 2,0% do PIB segundo trajetória projetada.

Assista sobre a retomada da economia:

Assista sobre a reforma política:

Nordeste

Assista sobre a seca do Nordeste:

Pernambuco

Após o boom de investimentos recebidos pelo Estado no início do Século 21, quando teve o maior crescimento dos últimos 50 anos, Pernambuco mesmo se mostrando mais fortalecido que muitos outros estados, não saiu ileso do azar da conjunção de crises nos últimos anos: crise da Petrobras; candidatura de Eduardo Campos; morte de Eduardo Campos; crise econômica nacional; crise política/ética; e crise fiscal.

De repente, o PIB de Pernambuco que em 2010 alcançou aumento de 7,7%, teve uma queda brusca em 2015 para -3,5%. Mas, o desenho que se forma é que quando a crise econômica brasileira passar, o estado volte à sua trajetória histórica de crescimento paralela ao País.

Assista sobre os impactos da crise em Pernambuco:

Recife

Para Francisco Cunha, o Recife deve focar no restabelecimento do planejamento de longo prazo (Projeto O Recife Que Precisamos 2012 – Observatório do Recife), enfrentamento da mobilidade; recuperação do centro do Recife; revitalização do Capibaribe (Parque Capibaribe); e a retomada do controle urbano. A abertura do Jardim do Baobá, nas Graças, pode ser considerado o Marco Zero do Parque Capibaribe, que segue como o caminho mais viável e inovador para os desafios a longo prazo da cidade. A expectativa é que até 2037, Recife disponha de 20 m² por habitante de área verde pública.

Assista sobre o Parque Capibaribe:

Assista sobre a Beira-Rio das Graças:

Assista à palestra completa:

Veja os slides da apresentação

Veja o resultado da pesquisa

Veja as notícias sobre o evento da Agenda TGI 2017

Acesse a galeria de fotos

0

Lição de cidadania

Embora a responsabilidade social esteja muito presente no discurso empresarial, poucas organizações dão atenção à cidadania. Infelizmente, o “jeitinho brasileiro” se repete no ambiente de trabalho. São atitudes como furar fila, estacionar em mais de uma vaga ou falar alto no telefone.

Algumas empresas permitem que esse tipo de comportamento ocorra livremente quando poderiam instruir seus profissionais com regras básicas de conduta e mostrar que o estilo de querer levar vantagem não condiz com a vida em sociedade.

As organizações precisam fazer sua parte, a começar pelos profissionais. É necessário estabelecer certos limites em prol de uma boa convivência. Essa simples ação pode fazer as pessoas internalizarem uma consciência cidadã e praticá-la no cotidiano.

0

O perigo do crédito

O brasileiro está administrando melhor suas finanças, mas ainda é preciso cuidado. Graças às facilidades do mercado, uma tendência atual de quem consegue pagar as dívidas é buscar novo crédito.

No entanto, pagar as contas com dinheiro emprestado pode se tornar um vício — e dos piores. O perigo é necessitar disso todo mês. Empréstimos só devem ser solicitados para emergências ou grandes financiamentos, e não como capital de giro. O ideal é se equilibrar financeiramente, fazer reservas e usar o próprio dinheiro.

Não pegue empréstimo para sanar gastos do dia a dia. Procure se organizar para ter uma reserva e, de fato, pagar as contas em vez de contrair dívidas.

0

Armadilhas financeiras

Com o consumismo e a modernidade, ficou mais difícil dizer não na hora de gastar dinheiro. Os sites de compras coletivas e a facilidade de pagamento a prazo, por exemplo, seduzem o consumidor. Mas cuidado para não se endividar.

Os impulsos não administrados, a necessidade de ser aceito e a falta de planejamento financeiro são uma combinação perigosa, podendo resultar no acúmulo de dívidas. Uma maneira de evitar isso é administrar suas finanças. Assim, você terá mais estabilidade e controle sobre suas compras, podendo gastar sem culpa.

Apesar das tentações, não se deixe levar pelo desejo de reconhecimento ou pela vaidade. Gerencie suas finanças pessoais e fique mais tranquilo no final do mês.

0

Uso inadequado do celular

Em todo lugar, as pessoas estão conectadas a todo instante pelo celular. O problema é que estão virtualmente presentes, mas fisicamente ausentes. Mesmo sendo um importante instrumento de comunicação, o celular tem servido de barreira ao contato pessoal.

Em situações informais, como em restaurantes, rodas de amigos e bares, o uso excessivo do aparelho tem dificultado o diálogo e a interação. Também em ambientes formais, como em uma reunião de trabalho, pode ser deselegante priorizar o celular em vez de atender uma pessoa presente.

Evite estar sempre conectado, desconecte quando possível. O equilíbrio entre o tempo das comunicações pessoal e virtual é fundamental para manter um convívio saudável com quem está ao lado.