All posts in Economia

MUNDO, BRASIL E PERNAMBUCO PARA ALÉM DA CRISE

Após o período em que a economia sofreu bastante com a crise, o Brasil parece iniciar o período de retomada. E esse é o momento de refletir sobre o futuro e o que fazer daqui pra frente no Brasil, como também em Pernambuco e no Recife. Como se desenha esse futuro foi o que o consultor Francisco Cunha, diretor da TGI Consultoria em Gestão, abordou na sua palestra durante o lançamento da Agenda TGI 2017, que aconteceu na segunda-feira (28.12.2016), no Teatro RioMar. Durante o evento, Francisco falou para mais de 500 empresários, executivos, imprensa, autoridades e profissionais convidados.

Mundo

Zona do Euro enfrentará nos próximos anos o desafio de ter o Reino Unido fora da União Europeia, com a aprovação pela maioria dos eleitores britânicos (51,9%) do chamado BREXIT (fusão dos termos exit  saída  e Britain – Grã-Bretanha). O resultado abalou o mercado financeiro e causou incredulidade no mundo todo. Já a China segue com o crescimento econômico estagnado. Do patamar histórico de aumento do PIB em uma mídia de 10% ao ano, nos últimos 30 anos, tem-se agora previsto uma estagnação de 6,5%. Nos Estados Unidos, as incertezas dominam a população e o mercado econômico com a eleição de Donald Trump para Presidente.

Assista sobre as perspectivas para o mundo no cenário atual:

Assista sobre os impactos da disrupção digital:

Brasil

O país vem enfrentando uma das maiores recessões de sua história. O Brasil contabiliza queda do PIB (-3,5% em 2016), aumento no número de desempregos, inflação alta e o impostômetro que pela primeira vez (dezembro, 2015) chegou aos R$ 2 trilhôes. Segundo Francisco, a gravidade dos números levou o povo às ruas e a consequente mudança de Governo.

Para ele, a crise político-econômica brasileira foi impulsionada pela Bolha do Consumo: políticas sociais benevolentes; reajustes salariais acima da inflação; aumento das despesas públicas; crédito farto; populismo cambial; farra dos subsídios; represamento das tarifas; “pleno” emprego; crise fiscal; descontrole inflacionário; e endividamento das famílias. E no Governo Michel Temer, quais são as prioridades? Restituir a credibilidade da autoridade presidencial e na política; restabelecer a ordem na economia; sinalizar o início do fim da crise; preparar o País para a próxima eleição geral.

Assista sobre a situação econômica atual do Brasil:

Cunha também afirmou que, para que haja uma retomada do crescimento, a prioridade deve ser o ajuste fiscal, ou seja, equilibrar receita e despesa. Com ele, haverá o aumento da confiança e, consequentemente, a volta do consumo e dos investimentos. Mas também, é  imprescindível que haja uma reforma política, como diminuição dos partidos políticos, adoção do voto distrital e regras mais rígidas para os financiamentos de campanhas. Com este cenário, há uma estimativa de recuperação da economia brasileira até 2019, com o crescimento de 2,0% do PIB segundo trajetória projetada.

Assista sobre a retomada da economia:

Assista sobre a reforma política:

Nordeste

Assista sobre a seca do Nordeste:

Pernambuco

Após o boom de investimentos recebidos pelo Estado no início do Século 21, quando teve o maior crescimento dos últimos 50 anos, Pernambuco mesmo se mostrando mais fortalecido que muitos outros estados, não saiu ileso do azar da conjunção de crises nos últimos anos: crise da Petrobras; candidatura de Eduardo Campos; morte de Eduardo Campos; crise econômica nacional; crise política/ética; e crise fiscal.

De repente, o PIB de Pernambuco que em 2010 alcançou aumento de 7,7%, teve uma queda brusca em 2015 para -3,5%. Mas, o desenho que se forma é que quando a crise econômica brasileira passar, o estado volte à sua trajetória histórica de crescimento paralela ao País.

Assista sobre os impactos da crise em Pernambuco:

Recife

Para Francisco Cunha, o Recife deve focar no restabelecimento do planejamento de longo prazo (Projeto O Recife Que Precisamos 2012 – Observatório do Recife), enfrentamento da mobilidade; recuperação do centro do Recife; revitalização do Capibaribe (Parque Capibaribe); e a retomada do controle urbano. A abertura do Jardim do Baobá, nas Graças, pode ser considerado o Marco Zero do Parque Capibaribe, que segue como o caminho mais viável e inovador para os desafios a longo prazo da cidade. A expectativa é que até 2037, Recife disponha de 20 m² por habitante de área verde pública.

Assista sobre o Parque Capibaribe:

Assista sobre a Beira-Rio das Graças:

Assista à palestra completa:

Veja os slides da apresentação

Veja o resultado da pesquisa

Veja as notícias sobre o evento da Agenda TGI 2017

Acesse a galeria de fotos

0

O perigo do crédito

O brasileiro está administrando melhor suas finanças, mas ainda é preciso cuidado. Graças às facilidades do mercado, uma tendência atual de quem consegue pagar as dívidas é buscar novo crédito.

No entanto, pagar as contas com dinheiro emprestado pode se tornar um vício — e dos piores. O perigo é necessitar disso todo mês. Empréstimos só devem ser solicitados para emergências ou grandes financiamentos, e não como capital de giro. O ideal é se equilibrar financeiramente, fazer reservas e usar o próprio dinheiro.

Não pegue empréstimo para sanar gastos do dia a dia. Procure se organizar para ter uma reserva e, de fato, pagar as contas em vez de contrair dívidas.

0

Como cuidar do seu dinheiro

Segundo pesquisa do Banco do Nordeste do Brasil, entre as principais causas da falta de dinheiro no final do mês, estão orçamento ineficaz e aumento de gastos. Ou seja, mesmo quem opta pelo planejamento das finanças ainda faz isso de forma ineficiente.

Para uma boa gestão dos gastos, são aconselháveis atitudes como: conciliar receitas e despesas, planejar fluxo de caixa para pagar no prazo, criar reserva para emergências e, sobretudo, monitorar as finanças ao longo do ano.

A boa administração financeira proporciona estabilidade, segurança nos gastos e capacidade de se realizar e juntar dinheiro. Isso eleva a autoestima e a sensação de bem-estar. Quanto mais contas você faz, menos dinheiro você gasta.

0

Armadilhas financeiras

Com o consumismo e a modernidade, ficou mais difícil dizer não na hora de gastar dinheiro. Os sites de compras coletivas e a facilidade de pagamento a prazo, por exemplo, seduzem o consumidor. Mas cuidado para não se endividar.

Os impulsos não administrados, a necessidade de ser aceito e a falta de planejamento financeiro são uma combinação perigosa, podendo resultar no acúmulo de dívidas. Uma maneira de evitar isso é administrar suas finanças. Assim, você terá mais estabilidade e controle sobre suas compras, podendo gastar sem culpa.

Apesar das tentações, não se deixe levar pelo desejo de reconhecimento ou pela vaidade. Gerencie suas finanças pessoais e fique mais tranquilo no final do mês.

0

Entre cautela e tentação

Embora não esteja mais no mesmo ritmo, o Brasil continua crescendo. Com a grande oferta de trabalho e mais dinheiro circulando, muitos têm comprado mais, enquanto outros estão cautelosos.

Com a oferta de crédito e o assédio do comércio, alguns consumidores têm gastado mais. E a tentação é ainda maior para aqueles que antes não tinham oportunidade de acessar alguns bens da vida moderna. O desafio para esses é não cair no endividamento. Outros consumidores, porém, preferem aproveitar o bom momento para poupar, pesquisar e barganhar mais antes de comprar.

Cabe a cada um escolher em que grupo se enquadra. Mas é bom lembrar: o excesso de hoje pode ser a escassez de amanhã.