A calçada é parque também!

“A iniciativa tem o objetivo de privilegiar a mais ampla “janela” que o Rio Capibaribe tem, depois do centro da cidade, que é justamente ali, onde se convencionou chamar de Cais da Jaqueira.”

A propósito da discussão que se instalou no Recife sobre a ampliação da calçada do Parque da Jaqueira que dá para a Avenida Rui Barbosa, um aspecto foi inicialmente esquecido ou ocultado: não se estava “reduzindo” o parque com o recuo da cerca porque a calçada passará a ser do parque também. Logo, o parque será ampliado, e não reduzido, com a calçada que antes estava “fora” dele (ver, a propósito, reportagem nesta edição da Algomais).

Na verdade, a iniciativa tem o objetivo de privilegiar a mais ampla “janela” que o Rio Capibaribe tem, depois do centro da cidade, que é justamente ali, onde se convencionou chamar de Cais da Jaqueira. Então, temos a “janela” e, defronte dela, o Parque da Jaqueira, sem praticamente nenhuma conexão entre esses dois extraordinários ativos ambientais da cidade. O projeto Parque Capibaribe, convênio entre a UFPE e a Prefeitura do Recife, identificando isso, propôs a conexão entre os dois “lados”, com a “engorda” da calçada junto ao Cais e, do lado do Parque da Jaqueira, a ampliação do passeio, transformando-o numa calçada-parque. Complementarmente, está prevista também naquele trecho, uma elevação do piso da Avenida Rui Barbosa, igualando-o ao nível das calçadas laterais, para facilitar a conexão e a travessia de pedestres e ciclistas, de um lado para o outro.

A ideia é, com essa conexão feita, interligá-la com o Jardim do Baobá, mais à frente em Ponte D’Uchoa, considerado o “Marco Zero” do Parque Capibaribe. E, assim, ir articulando trecho a trecho para ir formando, no conjunto, trechos maiores do Parque Capibaribe, recuperando pouco a pouco o rio para o usufruto da cidade, perdido depois que a urbanização terminou fazendo com que a cidade desse “as costas” para o Capibaribe. Ali, estamos tendo, justamente, uma oportunidade rara de avançar nesse “descortinamento”, fazendo com a Jaqueira, finalmente, dê a frente para o rio da integração municipal.

Trata-se, o que se está fazendo na Jaqueira, de um avanço civilizatório enorme que precisa ser compreendido e incentivado por todos
aqueles que querem o bem da cidade. Em sendo assim, todo o debate deve ser feito, o mais amplamente possível, mas tendo uma cidade melhor como objetivo final, sem reducionismos. E, ainda, no caso, com o “bônus” de um pôr do sol dos mais bonitos do Recife que poderá agora ser contemplado a partir de calçadas mais generosas e de um Parque de frente para um horizonte descortinado.

*Artigo publicado na edição 149 da revista Algomais (www.algomais.com)

0

Game Station firma parceria com a Perylampo

O Game Station, cliente TGI, lançou, no dia 28 de julho, sua parceria com a Perylampo, empresa especialista em decoração de festas infantis no Recife, com mais de dez anos de experiência no mercado. O evento de lançamento, realizado no GameBox do Shopping Riomar Recife, contou com show de Tio Bruninho, personagens infantis, oficina de pintura e esculturas de balão.

Com a parceria, a partir de agora as festas realizadas no espaço GameBox podem contar com a decoração assinada por Adriana e Mariana Perylo, sócias da Perylampo. São mais de trinta temas diferentes, que atenderão todos os tamanhos de festas, para meninos e meninas, com preços acessíveis.

“Unimos nossa estrutura de diversão, com brinquedos, recreadores com o poder de transformação dos cenários e a versatilidade da Perylampo”, pontua Paula Margolis, diretora da rede Game Station. Segundo as empresárias à frente da Perylampo, festas infantis marcam muito os primeiros anos das crianças e merecem ter todos os detalhes cuidados com muita atenção, para que fique tudo perfeito. “Unimos nossas habilidades em prol da criação de momentos únicos”, afirmam.

Os espaços GameBox, voltados para crianças de até oito anos, contam com mais de dez brinquedos integrados com atividades que estimulam a interatividade. Cada detalhe do GameBox foi pensado exclusivamente para a diversão e bem-estar dos pequenos participantes. A estrutura do parque traz o piso em EVA, mais macio, e brinquedos acolchoados, garantindo uma maior segurança na hora de brincar. E através de pulseiras com chip, as crianças podem ser monitoradas pelos responsáveis em tempo real, bastando baixar o aplicativo do espaço no smartphone.

Jump Station - O Game Station inaugurou, no Shopping RioMar Recife, o Jump Station, seu parque de cama elástica. O espaço traz, em mais de 130m², diversas opções e modalidades de diversão para todas as idades. O Jump Station conta com quatro atrações no total. São elas: Escalada, Piscina de Espumas, Basketball e Circuito Ninja. Todos os brinquedos foram desenvolvidos para que o público teste suas habilidades e supere seus limites, através de desafios que buscam desenvolver coordenação, equilíbrio e agilidade.

Para ter acesso ao parque, é obrigatório uso de meias antiderrapantes, que podem ser adquiridas no local, e assinatura de termo de responsabilidade. Crianças a partir de cinco anos já podem pular no Jump com a supervisão de um adulto. A permanência mínima no espaço é de 30 minutos e o valor a partir de R$ 18 por pessoa. O espaço também está disponível para a realização de festas de aniversário, seguindo a tradição do Game Station.

0

Francisco Cunha participa de oficina sobre mobilidade a pé

Representando o Movimento Olhe Pelo Recife – Cidadania a Pé, o consultor e sócio da TGI, Francisco Cunha, participou, em julho, no Impact Hub São Paulo, da Oficina Como Anda. O evento reuniu diversos representantes de movimentos e entidades defensoras dos pedestres e teve como objetivo desenhar e pactuar um plano de ação coletivo para fortalecer a mobilidade a pé.

Partindo das estratégias definidas em encontros prévios realizados pelo projeto – I) Fortalecer as organizações; II) Fortalecer a pauta; III) Articular a rede – a primeira parte da oficina contou com a apresentação de um histórico do projeto e de seus financiadores e foi finalizada com uma discussão sobre as conquistas e desafios da iniciativa, assim como seus próximos passos. Em um segundo momento, os participantes, presenciais e online, esboçaram um plano de ação para o avanço da mobilidade a pé no Brasil.

Sobre o Como Anda – Desde 2016, o Como Anda vem sendo desenvolvido por Cidade Ativa e Corrida Amiga através do apoio do iCS – Instituto Clima e Sociedade. O projeto tem como objetivo principal mapear organizações que atuam pela mobilidade a pé no Brasil e entender o cenário em que atuam. Atualmente, a iniciativa conta com mais de 170 organizações mapeadas país afora.

0

FRASE DA SEMANA TGI

0

Como tratar assuntos delicados com a equipe sem constranger

Assuntos de natureza mais pessoal que estão impactando no ambiente de trabalho, por mais desconfortáveis que sejam, precisam ser tratados pelo gestor. Sabemos que é delicado falar de questões como, por exemplo, mau cheiro, mau hálito e práticas que fogem das regras de higiene, mas elas devem ser encaradas pelo bem do profissional, da convivência em grupo e da imagem da empresa.

Continue lendo: http://blogconexaoprofissional.com.br/blog/2018/08/12/como-tratar-assuntos-delicados-com-a-equipe-sem-constranger/

0