INTG e TGI inscrevem para edição 2020 do curso Oficinas de Gestão

O Instituto da Gestão (INTG), em parceria com a TGI, está com inscrições abertas para a edição 2020 das Oficinas de Gestão, voltado para gestores de equipes operacionais, como supervisores, coordenadores e encarregados, que querem aperfeiçoar o exercício da liderança. O curso terá duração de 40 horas com aulas entre março e dezembro deste ano.

Dividido em duas etapas, o conteúdo abordará os princípios e as ferramentas da gestão, articulando os temas trabalhados com as situações cotidianas dos gestores. Nas oficinas, além da análise e compreensão das situações do dia a dia, os participantes também discutirão alternativas para a melhoria da gestão, tais como delegação, monitoramento e desenvolvimento de equipes, administração do tempo e a importância da prática do feedback e da inteligência emocional.

A coordenação do curso fica a cargo de Carolina Holanda, psicóloga e consultora especializada em desenvolvimento gerencial de equipes e gestão de recursos humanos e de Georgina Santos, administradora e consultora em gestão de recursos humanos, desenvolvimento de equipes, gestão colegiada e formação de sucessores e herdeiros. As consultoras são sócias da TGI.

As aulas acontecerão na sede do INTG, localizada no bairro do Espinheiro. Mais informações sobre inscrições e valores pelo site www.intg.org.br/oficinas2020 ou pelo telefone (81) 3134.1745.

0

Rede Game Station inaugura loja conceito na Zona Sul

A primeira-loja conceito da rede Game Station, cliente TGI, foi lançada no Recife, especificamente no Shopping Recife. Na unidade, os cerca de 1.200m² no piso 1 do mall foram divididos em áreas distintas para os mais diversos públicos, com atrações que vão de jogos de mesa a equipamentos com tecnologia de ponta.

“Nossa primeira loja foi esta, inaugurada há mais de 20 anos, e decidimos reinventá-la. O projeto de loja conceito reúne o melhor da tecnologia e os melhores brinquedos para uma diversão completa. Temos espaços para todos os públicos, que cresceram junto conosco, dos que amam jogos de realidade virtual até os fliperamas. Sinucas, espaço sensorial para os pequenos, camas elásticas do tipo “jump”, áreas de festas e muito mais”, afirma Paula Margolis, diretora executiva do Game Station.

O projeto arquitetônico foi desenvolvido por Paulo Baruki, que dividiu as áreas de acordo com os temas. No espaço retrô, por exemplo, o clima clássico e alegre dos parques de diversão foi reinventado e adaptado para a unidade que tem um carrossel instalado e uma mini pista de carrinhos – o tradicional “Convoy”, além de escorregadores e outras opções.

Há ainda brinquedos que exploram a realidade virtual, como simuladores de corrida de carros, motos, montanha-russa. “Queremos reunir toda a família, com diversão para todas as idades. Dos menores até os adultos com o melhor que o mercado de diversão e jogos pode oferecer”, completa Paula.

0

O mito da “indústria da multa”

“Infração cuja prática é absolutamente disseminada e que se, de fato, fosse punida com multa, na razão direta de sua existência, resolveria a crise fiscal das cidades brasileiras e ainda sobrariam recursos para investimento: uso de celular ao volante.”

Há cerca de 15 anos voltei a caminhar regularmente no Recife, depois de ter passado 25 anos “fora da cidade”. Não propriamente fora do Recife, mas “fora da cidade” porque, depois que comecei a trabalhar, comprei um carro e passei a ver o mundo (e a cidade) de dentro de um cockpit (uma cápsula) que, mais tarde, viria, inclusive, a ser refrigerada e, portanto, mais segregada ainda do entorno. Só após ter começado a caminhar foi que percebi o que estava acontecendo. Quando me locomovia só de carro, não tinha percepção disso.

A mudança que se operou na minha forma de ver a cidade (e o mundo!) foi tão intensa que no lançamento da Agenda TGI 2020, final do ano passado, cheguei a parafrasear o pintor Cícero Dias: “Eu vi o mundo e ele começava nas calçadas do Recife”.

Pela minha contabilidade, nos últimos 10 anos foram, pelo menos, 15.000 km andados dentro do Recife, vendo o mundo, em especial o mundo do trânsito, de outra perspectiva que não de dentro de um carro e posso dizer, sem medo de errar, que a quantidade de infrações cometidas e não punidas é absolutamente colossal! Sobretudo aquelas que colocam em risco direto a integridade física do pedestre, o ator mais frágil do trânsito que todos os outros deveriam, por obrigação legal, proteger (garantir a sua “incolumidade”, conforme diz o Código de Trânsito). Exemplos cotidianamente abundantes dessas infrações não punidas são a prática de velocidade excessiva e o estaciomento proibido sobre a calçada.

Em sendo assim, tenho muita dificuldade de entender a quase histeria em curso relativa a uma tal de “indústria de multas”. Pela minha percepção cotidiana, se indústria há é a das infrações não punidas. E isso sem falar num tipo de infração cuja prática é absolutamente disseminada e que se, de fato, fosse punida com multa, na razão direta de sua existência, resolveria a crise fiscal das cidades brasileiras e ainda sobrariam recursos para investimento: uso de celular ao volante.

Num País onde morrem cerca de 40 mil e resultam feridas 300 mil pessoas por ano (das quais cerca de 11 mil e 85 mil pedestres, respectivamente), vítimas de eventos trágicos de trânsito, em sua maioria provocados por práticas infratoras, não temos o direito de nos envolver emocionalmente em falsas discussões nem na propagação de mitos como a tal da “indústria de multas”. As vítimas não merecem mais esta desconsideração!

*Artigo publicado na edição 167 da revista Algomais (www.algomais.com)

0

Sicredi Recife inaugura agência em Olinda

Com o foco na aproximação e otimização no relacionamento com os associados, a Sicredi Recife, cliente TGI, inaugurou uma nova agência na cidade de Olinda. A instituição cooperativa financeira abriu as portas da unidade localizada no L2 do Shopping Patteo, em Casa Caiada, no dia 05 de fevereiro. O espaço está à disposição da comunidade para orientações sobre linhas de crédito, investimentos e outros produtos e serviços financeiros.

A agência de 290 m² conta com um ambiente sintonizado ao padrão operacional único do Sistema Sicredi. São mais caixas de atendimento, mais colaboradores, caixas eletrônicos e um espaço exclusivo aos associados, com computadores e impressoras. “As mudanças refletem o nosso cuidado em assegurar um atendimento ágil, personalizado e de qualidade aos associados”, afirma o presidente do Conselho Administrativo da Sicredi Recife, Floriano Quintas.

A inauguração da Agência Olinda faz parte de um plano de ampliações da Sicredi Recife. Neste ano, a agência de Boa Viagem foi modernizada, contando com um ambiente mais amplo e próximo. E a sede da instituição cooperativa, situada na Ilha do Leite, já está em expansão. O objetivo é aprimorar e enriquecer o relacionamento, reforçando o compromisso com a vida financeira dos associados e da região de atuação.

A Sicredi Recife conta com mais de 13 mil associados e 83 colaborados, que possuem objetivos comuns e formam uma rede que apoia o crescimento em conjunto. A instituição financeira cooperativa atende 54 municípios em Recife, Região Metropolitana, Zona da Mata Norte e Sul de Pernambuco. Com presença nacional, o Sistema Sicredi está em 22 estados e Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros.

0

Francisco Cunha guia primeira Caminhada Domingueira de 2020

O consultor e sócio da TGI, Francisco Cunha, guiou, no dia 02 de fevereiro, a primeira edição de 2020 da Caminhada Domingueira, desta vez com uma temática especial: o Recife e suas pontes. Apoiada pelo Movimento “Olhe pelo Recife”, sob coordenação do Observatório do Recife, a caminhada apresentou ao público uma oportunidade de conhecer a história de alguns dos principais cartões-postais da cidade.

A concentração ocorreu no Marco Zero do Recife, por volta das 8h. De lá, o grupo de mais de 200 pessoas seguiu por um percurso de cinco quilômetros. O roteiro incluiu seis das oito pontes existentes no centro do Recife: Maurício de Nassau, Seis de Março (mais conhecida como Ponte Velha), Boa Vista, Duarte Coelho, Santa Isabel e Buarque de Macedo. O encerramento foi feito no Boulevard Rio Branco.

Durante a caminhada, o guia Francisco Cunha, que tem formação em arquitetura e urbanismo, defendeu que a melhor forma de conhecer, de verdade, a cidade é a pé. “Quando utilizamos qualquer outro modo de locomoção, seja de carro, moto, ônibus ou bicicleta, estamos em uma velocidade incompatível com a observação da cidade. O Recife, em particular, foi projetado quando ainda não existia automóvel. Então, ela foi feita para ser vista a pé em sua parte mais antiga que inclui todo o centro”, afirma.

A próxima Caminhada Domingueira está prevista para acontecer em março. A agenda de atividades pode ser acompanhada na página oficial do Observatório do Recife no Facebook (www.facebook.com/observarecife), no grupo Caminhadas Domingueiras do Facebook ou no Instagram.

0